7.12.13

Foz do Iguaçu: o que fazer nas cataratas?

Estando em Foz de Iguaçu, ir às Cataratas é um passeio praticamente obrigatório. Você tem a opção de escolher entre ir no lado Brasileiro ou Argentino (melhor nos dois!), cada um com sua particularidade e ambos com paisagens impressionantes. Não existe um consenso sobre qual lado tem a vista mais bonita e dizem que o lado Brasileiro tem uma infra-estrutura melhor que o Argentino, mas como nós só conhecemos o Lado Brasileiro, não trago essa discussão, apenas posso afirmar que a estrutura e o suporte que dão aos turistas é excelente e não deixa nada a desejar.
Como o Parque fica afastado da cidade você precisa de um transporte para chegar lá. Pode ser de táxi, carro alugado, transfer contratado no hotel que você está hospedado ou de ônibus. Advinha qual a família Luz escolheu? Quando se pensa em Foz de Iguaçu, quatro coisas podem vir à cabeça: Cataratas, Itaipu, Paraguai e Dutty Free. Assim, como a cidade gira em torno disso, a exceção do Dutty Free (que na minha opinião não valeu nem um pouco à pena) é fácil chegar de transporte público em qualquer desses cantos.
Nós nos hospedamos em um hotel próximo a rodoviária interestadual. Dessa forma, nos dirigimos à ela, pegamos um ônibus que nos deixava no terminal de ônibus municipais e de lá, pegamos um ônibus rumo ao Parque Nacional de Iguaçu (tudo é muito bem sinalizado, não tem erro). Mas chega de blablablá e vamos ao que interessa: as Cataratas!
Para ter acesso ao interior do Parque, você precisa pagar a entrada (R$28,80 para adultos brasileiros; R$7,50 para crianças até 12 anos e idosos). Esses ingressos podem ser adquiridos na hora ou pelo site. E ai já se vão alguns dinheiros... Dependendo do que você quer fazer, precisa ter economizado uma boa granhinha para suas pequenas doses de felicidade, mas se tiver com o orçamento apertado, também é possível aproveitar muito bem. Veja como:

1) Ficar bobo com a paisagem
De graça (aliás, nada mais do que o valor pago no ingresso).
Logo na entrada você pega um ônibus gratuito do Parque, que passa a todo momento e desce em frente ao hotel das Cataratas, onde começa a trilha das cataratas e de lá, segue a pé.
A trilha é bem fácil, acessível para todas as idades, para as almas mais sedentárias (presente!) e tem acessibilidade para pessoas em cadeiras de rodas também. O seu queixo vai caindo a medida que as cataratas vão se revelando. É lindo demais!
Até você encontrar um arco-íris...
E ver as cachoeiras cada vez mais perto...  e se apaixonar mais ainda...
E um pote de ouro no fim do arco-íris...
De repente você se depara com essa paisagem feia... feia..
No fim da trilha, você tem acesso as pontes que te levam para mais perto ainda das Cataratas, onde bem no finalzinho você encara a garganta do diabo e ai vem a parte mais legal do passeio...

2) Lavar a alma com um banho das cataratas
Não que você vá mergulhar nas cataratas, mas com a força da queda d´água (mesmo no inverno, quando fomos) é impossível não se molhar na ponte.
Nós compramos capa na tentativa de não nos molharmos muito, pois além de não termos levado roupas extras para trocar, estava frio. Eu disse tentativa, pois não deu certo e acabamos tomando o banho gelado mais gostoso da vida!

E a garganta do diabo ai embaixo
3) Almoço ou lanche com vista para as cataratas
Não tem jeito, você vai passar o dia todo lá e vai precisar comer. Se tiver com o orçamento apertado, tem que pelo menos estar preparado para desembolsar em torno de R$20,00 reais por um combo de hambúrguer, refrigerante e fritas.
Caso contrário, podes pagar R$40,00 (preço de junho/2013) por pessoa e desfrutar do maravilhoso Bufê (servindo-se quantas vezes quiser) do Restaurante Porto Canoa. Como moramos no Pará e temos uma das culinárias mais diversificadas e fartas do Brasil (desculpa gente, mas é verdade), somos meio chatos para comida. Aqui pagamos barato e comemos muito bem em bufês, então é muito difícil acharmos algo que consideramos bom custo benefício em outros bufês no Brasil. Pelo menos este tem a vantagem da paisagem. Não tem muita diversidade de comida e sobremesa, mas o que tem é delicioso e a paisagem... ahhh a paisagem... O restaurante fica aberto até as 16:00 horas. Depois disso, só lanche ou café com croissant. Tudo com uma bela vista...

4) Macuco Safari
Aqui você tem que ter mais grana, porque o negócio começa a ficar "de com força". O plano inicial era fazer a versão roots do Macuco no lado argentino, que é beeeeem mais barato, mas como não pudemos atravessar a fronteira por termos viajado só com a carteira do conselho e de motorista (até podia atravessar com a de motorista, mas a do marido estava vencida), ficou ele mesmo.
O valor por pessoa é R$140,00 reais, sai a cada 15 minutos e dura cerca de 1 hora. O passeio começa em um veículo elétrico ecologicamente corretos que te conduz pelo interior mata do Parque Nacional. Tem um guia bilíngue que vai te explicando sobre a fauna e flora do local. Após, o grupo percorre um pequeno trecho a pé e chega no ponto de embarque do macuco, onde você veste coletes salva-vidas, sobe no bimotor e parte rumo aos pés da cachoeira e então toma outro delicioso banho gelado.
Recomendamos guardar todos os pertences (inclusive sapatos) no locker que tem lá (aluguel R$5,00) e  a levar uma roupa extra, pois vai molhar e não é pouco! Nós não tiramos os sapatos e ficamos com ele molhado o resto do dia. Mas tudo bem, foi muito divertido!
O passeio começa nesses carros...
Cataratas de Foz de Iguaçu
depois o grupo segue a pé pela trilha (600m)...
Pode parar para tirar fotos...
Cachoeira Salto do Macuco
Já no bimotor... rumo aos pés das cataratas
O barco vai até bem debaixo da catarata - Essa foto não é nossa, e sim do cd que compramos do passeio
acaba com a chapinha de qualquer pessoa hahaha
5) Passeio de Helicóptero
Essa é uma das oportunidade que você tem na vida que, se puder fazer um esforço, faça, pois vale à pena. Você tem uma nova (e privilegiada) visão das cataratas. É um passeio curto, de apenas 10 minutos, mas fica na memória para sempre. A vista lá do alto é incrível, não tenho nem palavras para descrever. 
O preço por pessoa é R$220,00 reais e, apesar disso, a fila de espera é loooonga (esperamos cercar de 2 horas), mas valeu. Valeu mesmo! Se fores fazer, para fugir do longo tempo de espera, vá o mais cedo possível.
Enfim, dá para ver que, independente da forma que você for, o passeio no Parque Nacional Iguaçu é muito democrático e pode agradar todos os bolsos. Além desses passeios que mostrei tem outras opções de esportes como raffting, arvorismo e rapel. Neste último nós pagamos, nos paramentamos, fizemos o treinamento, mas por motivos de força maior (cadê a coragem?), não rolou. 
Nós fomos em dois dias diferentes porque não pudemos ir ao lado Argentino. Se pudéssemos ter atravessado a fronteira, faríamos. Assim, além de todas as dicas que dei aqui, fica a última e, talvez, a mais importante: se fores à Foz do Iguaçu, leve passaporte ou carteira de identidade atualizada (com menos de 10 anos), pois apesar de ser bem colado à Argentina, você vai ter que passar pela fronteira (e eles são bem rigorosos) e fazer todos os tramites que se faz quando se viaja para o exterior. Então não perca a oportunidade de conhecer o outro lado das cataratas, os restaurantes de Puerto Iguaçu, de comprar uns alfajores e ganhar mais um carimbo no seu passaporte.

Informações Importantes:
Horário de funcionamento: 09:00h às 17:00h.
Valor do Ingresso: Para brasileiros adultos: R$28,80, crianças até 12 anos e idosos: R$7,50
Maiores informações sobre o Parque Nacional de Iguaçu aqui.
Maiores informações sobre o Macuco Safari aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário