5.10.13

Programa alternativo no Chile: Um dia em Sewell


Para quem vai à Santiago-Chile, os programas clássicos são: city-tour na cidade, subida aos Cerros, noites no Pátio Bela Vista e um bate e volta em Viña del Mar e Valparaíso. Mas que tal fazer algo diferente? Como por exemplo, visitar uma cidade, com casas coloridas e ruas que na verdade são todas escadas, que foi declarada Patrimônio da humanidade pela UNESCO em 2006,  encravada na cordilheira dos Andes?
Pois bem, é de Sewell que estou falando.
Quando você chega ao Chile, logo aprende  que a base da economia do país é a exploração de cobre (aproximadamente 45% do cobre do mundo inteiro vem de lá). Sewell é uma vila operária que foi construída no início do século XX para abrigar trabalhadores de uma mina de Cobre explorada por uma empresa Norte Americana. Hoje encontra-se desabitada, mas em seus tempos áureos chegou a comportar 15.000 habitantes e ter uma estrutura de dar inveja à muitas capitais da América do Sul. 

passeio diferente no chile

passeio diferente no chile
Como a cidade ficava em uma região de difícil acesso, a  mineradora tratou de fornecer uma infra estrutura poderosa para comportar os trabalhadores de lá.  Para ter ideia, Sewell tinha um sistema de saúde eficiente, com o melhor hospital do Chile, uma boa escola, boliche, teatro, cinema (que era primeiro a receber os lançamentos no país), igreja, jornal, hotel para receber executivos de passagem por lá e os moradores da cidade (não os operários) tinham acesso aos mais modernos eletrodomésticos para o lar, tudo para tornar a descida da cidade desnecessária. 
passeio alternativo no chile
passeio alternativo no chile
onde não tinha casa, nem escada, eram praças, onde os Sewellinos se reuniam para conversar sobre a vida
passeio alternativo no chile
e haja escada... Moças de Sewell deveriam ter pernas muito bonitas!
Tudo do bom, melhor e mais moderno - American Way of life
cinema - lugar que primeiro chegava os filmes no Chile
Sewell
Praticamente tudo era bancado pela empresa norte americana, a exceção de roupas e comida, todos se conheciam, se respeitavam e andavam na linha (não havia criminalidade). Nesta cidade todos tinham alguma função: ou trabalhavam ou estudavam. Ninguém ficava o dia de bobeira. Imagina que quando uma criança faltava a escola, a professora ia lá na casa dela para ver o que estava acontecendo.
Lógico que com espaço geográfico limitado, tudo tinha que ser milimetricamente calculado. Então além de existir escadas(muitas!!!) no lugar de ruas, a maioria dos apartamentos eram pequenos e funcionais (apartamento dos mineradores e suas famílias), quem era solteiro morava em alojamentos separados por sexo (só de homens e só de mulheres) e conforme a posição que ocupava na empresa, tinha acesso a apartamentos maiores e mais luxuosos.
passeio alternativo no chile
Igreja, local de casamentos, batizados, missas de também de conforto às mulheres que perderam seus maridos em acidentes na mineradora
Imagina quantos casamentos ocorreram aqui?
passeio alternativo no chile
Primeiro Boliche do Chile

Alojamento masculino
casa de hospedagem
Em 1967, com a construção da estrada que ligava Rancagua à mina e com a estatização de grande parte da mina, foi imposto decidido que seri melhor os sewellinos morassem em Rancagua e assim a cidade foi sendo desocupada até não ter mais ninguém por lá, em 1971. Por muitos anos a cidade ficou abandonada, foi muito destruída e saqueada, mas agora ela esta sendo aos poucos recuperada e (se não me engano) tem até fim de 2014 para estar totalmente restaurada (os 30% que sobrou dela).
passeio alternativo no chile
Visitar Sewell nos meses de Junho a setembro dá um upgrade no local: construções coloridas contrastando com a neve
passeio alternativo no chile
É tão bonito, que fica difícil escolher poucas fotos
SEWELL
O acesso a Seweel é limitado e por a cidade ficar em propriedades de uma mineradora de cobre é IMPOSSÍVEL chegar lá de forma independente. Então se queres ir à Seweel, necessariamente tens que contratar uma empresa de turismo, que faz o passeio de dia todo. 
A empresa que fomos foi a VTS e esse passeio é super cronometrado, para não interferir nas atividades da mina. O preço? Uma bagatela de 38000 pesos chilenos por pessoa (aproximadamente 178 reais). Falo Bagatela em comparação com os preços de passeios praticados no Chile (consulta lá os pacotes da Turistik e da turistour para você ver), além de que a cidade não é tão pertinho assim de Santiago (leva-se 2 horas para chegar lá),  já inclui guia (em espanhol), almoço (prato principal, suco e sobremesa), uma hora de descanso no Club de Campo Coya (não adianta fugir, faz parte do pacote e, apesar de não ter nada de mais, pelo menos é bonito e agradável) e seguro saúde (vai que acontece algo com você por lá...). 
Coya
Club Campo de Coya
Para finalizar três dicas importantes e fundamentais para o sucesso absoluto do passeio: leve sempre um casaco, pois a 2500 metros de altura, no meio das Cordilheiras faz frio; leve lanche e água, pois o almoço só ocorre as 15:00 horas e lá em cima não existe nenhum lugar que venda nem uma mísera garrafinha de água cachantum e por último e mais importante leve fones de ouvidos para você ouvir a música que gosta e der na telha, pois o gosto musical do motorista de ônibus é péssimo, péssimo, péssimo... não é porque gostamos de rock que temos preconceito com outros estilos musicais, mas aquelas músicas que o motorista colocou feriu aos ouvidos de todos no ônibus (tipo música que bêbado traído, às 03:00 horas da madrugada em um bar).
Sewell vista de longe
Informações importantes:
 - Passeio ocorre apenas aos sábados e domingos, realizado pela empresa VTS (reserve com antecedência  por email - se não souberes escrever em espanhol, pode mandar email em inglês, que eles te respondem em inglês)
 - Valor: 38000 pesos chilenos por pessoa
 - Hora e local de saída: Shopping Parque Arauco - 08:45 da manhã; ou Edifício "movistar" na avenida Bustamante - 09:10 manhã
 - Hora de chegada à Santiago: 19:00 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário