4.10.12

Finalmente, Cusco!

Primeira vista que tivemos de Cuzco.
Depois da maratona para chegar em Cuzco, que relatamos aqui e aqui, chegamos na cidade antes do sol nascer. A primeira impressão na rodoviária foi tensa. Muita gente em plena cinco horas da manhã, mochileiros, peruanos, funcionários das empresas de ônibus (gritando o destino de várias cidades "Arequipa, Arequipa, Arequipaaaa", "Puno, Puno, Puuuuno" e assim por diante), taxistas, vendedores ambulantes, um caos total. 

Milhares de taxista foram nos abordar pra saber se queríamos táxi e ofereciam os mais variados preços. Uma coisa que você tem que ir se acostumando logo quando chega no Peru é Pechinchar! NUNCA, EM HIPÓTESE ALGUMA, aceite a primeira oferta que te oferecerem (sempre pode ser mais barato - mas também desconfie se oferecerem as coisas por muito mais barato).

Falamos para o Taxista qual era o nosso Hostel, ele ofereceu por 10 soles, nós retrucamos "8 soles" e ele topou nos levar. O caminho até o hostel estava deserto e escuro, não pudemos nos deliciar com a cidade que tanto custamos a chegar. Ao mesmo tempo que foi decepcionante (não sabia muito o que esperar... acho que só em São Paulo que você chega de madrugada e a cidade esta funcionando normalmente :P), sentia uma sensação de vitória " OMG, estamos em Cuzco!!!"

Ao chegar no Hostel, fomos comunicados que a nossa diária só começaria as 13 horas e que, infelizmente, naquele momento eles não tinham quartos disponíveis, mas ofereceram-nos um chá de coca (muito comum lá no Peru e Bolívia - onde chegávamos, já éramos recepcionados com Chá de coca) e deixaram-nos descansar na sala de TV.
Pátio do Hostel - onde ficamos sentados esperando o dia amanhecer
Estávamos esgotados! Quando chegamos na sala de TV, tinham outros mochileiros também esperando a hora de entrar (ou pelo menos o dia amanhecer para começar a bater perna por Cuzco). Para nossa surpresa tinha um Brasileiro (e como tinha Brasileiro neste hostel! Quase me senti no Brasil, se não fosse a constante falta de ar nos meus pulmões). E quando estávamos preparados para ficar lá, jogados e mortos no chão, convidaram-nos para "fumar um negocinho". "No, thanks!", neste momento já estava tendo uma crise de alergia... O jeito foi sair da sala e ficar lá no pátio, no frio, vendo o dia ficar claro aos pouquinhos, esperando o grande momento de Conhecer Cuzco, sob a luz do sol.
Cara de Cansados -  mas como não tinha outro jeito (quarto disponível só as 13 horas) e não queríamos perder tempo, estávamos prontos para desbravar Cusco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário