31.7.12

Resumão do mochilão Peru Via Acre


Nosso Roteiro do Mochilão Peru via Acre usando rota alternativa:


1º dia: Belém - Rio Branco:
Apesar de Rio Branco e Belém serem capitais localizadas na mesma região, parece que é mais fácil chegar ao Acre de São Paulo do que do Pará. Nosso voo saiu as seis da manhã em Belém, com conexão em Brasília e chegou em Rio Branco as 13 horas (horário local - uma hora a menos que o horário de Brasilia).
Rio branco nos impressionou bastante. Encontramos uma cidade charmosinha: limpa, iluminada, organizada, com guardas nas ruas e motoristas que respeitam o pedestre e pessoas simpáticas. Queremos voltar lá.

              Parque da maternidade - Rio Branco
Veja aqui o que fizemos em Rio Branco

2º dia: Rio branco - Cuzco
Saímos de Rio Branco as 08:00horas da manhã, de táxi. O taxista supostamente iria nos levar até Iñapari (cidade do Peru que faz fronteira com o Brasil), porém nos deixou em Brasiléia. Em Brasiléia pegamos outro táxi até Iñapari. Desta cidade, fomos em transporte coletivo até Puerto Maldonado. De Puerto Maldonado, finalmente pegamos um ônibus noturno da Movil tours até Cuzco. E após oito horas de viagem, chegamos as cinco da manhã em Cuzco (duas horas a menos que o horário de Brasília).
Veja aqui e aqui como foi.


                            o cansaço era tanto, que nem conseguimos tirar fotos.


3º dia: Cuzco
Dia livre para aclimatação, reconhecimento do local e compra dos bilhetes turísticos. Ainda bem que ninguém teve sérios problemas com o tão temido mal de altitude. Descobrimos que nosso hostel ficava no alto de uma ladeira e logo vimos o quanto subir alguns degraus pode ser tremendamente cansativo a 3400 metros de altura.

              Plaza de Armas - Cuzco
Neste post conto como foi o nosso primeiro dia.

4º dia: Cuzco 
Pela manhã, passeio pelas ruínas Incas nas proximidades de Cuzco (Tambomachay, Pukapukara, Qenqo e Saqsaywaman) e Cristo Branco.  Veja aqui o relato sobre o City Tour.
Pela tarde, passeio pelo charmoso San Blass.
              Pelas ruínas de Saqsaywaman


5º dia: Cuzco
Passeio de um dia inteiro pela Vale Sagrado dos Incas: Pisaq, Urubamba, Ollantaytambo e Chinchero.
              Nosso Guia de Pisac


6º dia: Águas Calientes - Machu Picchu
Momento mais esperado de todos. Saímos cedinho de Cuzco. Pegamos o trem,pela estação de Poroy, rumo a águas Calientes. E logo depois do almoço fomos conhecer Machu Picchu.


7º dia: Águas Calientes - Huaynna Pichu - Cuzco
Com os ingressos comprados muito antecipadamente, acordamos as 4:00h da madrugada e fomos rumo ao Huyana Picchu. Três horas e vinte minutos depois tinhamos subido e descido, com uma sensação de vitória indescritível.


8º dia: Puno- Copacabana - Isla del Sol
Foi uma viagem noturna difícil, ônibus velho, motorista dirigindo acima da velocidade, frio. Chegamos no nosso destino final, Isla del Sol, lá pelas 3 da tarde, saindo de Copacabana navegando pelo lago Titicaca. É um belíssimo lugar, mas que exige uma mão de obra tremenda para chegar (muuuuuuuuuuita subida a quase 4000 metros acima do nível do mar) e foi somente um dia depois de subir o Huayna Picchu. A paisagem encheu nossos olhos.
              Copacabana (lago Titicaca) - Bolívia


9º dia: Isla del Sol - Arequipa
Saímos cedinho de Isla del Sol e partimos rumo à Cidade Branca, minha querida Arequipa.
              Barquinho que faz o transporte pelo lago Titicaca entre Isla Del Sol e Copacabana.


10º dia: Arequipa
A tão sonhada cidade Branca. Neste dia desaceleramos e aproveitamos para descansar e passear pelo centro histórico com calma. Conhecemos o museu Santuário Andino, onde esta 
exposta uma das múmias mais bem preservada do mundo (La Juanita) e a Catedral. 

11º dia: Arequipa - Cuzco

Descobrimos que em Arequipa tem um ônibus que faz city tour pela cidade e dedicamos a nossa manhã para isso. Somos meio avessos a city tours, com ônibus lotado de gente, tempo cronometrado e tudo o mais, mas dessa vez, ou íamos com a galera conhecer os principais pontos da cidade, ou iríamos ficar limitados a Plaza de Armas. O passeio foi bastante proveitoso. Conhecemos uma Arequipa que nunca iríamos conhecer, desde a parte nobre, passando por mirantes para os famosos vulcões que rodeiam a cidade, à áreas de invasões. Pontos para o City tour!
A tarde, passamos no Monastério de Santa Catalina, que merece um post todinho só para ele. E a noite, pegamos um ônibus de primeira classe - que deixa avião no chinelinho - rumo a Cuzco. 
              Cores - não só de Silar se faz Arequipa


12º dia: Cuzco - Rio Branco
Amanhecemos em Cuzco. Era dia de festa em comemoração a Independência. A cidade estava animada. desfile dos militares, de estudantes uniformizados, Cusquenhos e turistas se acotovelavam na rua por um lugar para assistir ao desfile, professores se organizando para fazer protesto, guarda armada e nós assistindo tudinho de camarote do segundo piso do Bembos.




13º dia: Rio Branco

Sei que já devo estar como um disco furado, mas sem muitos comentários. Estávamos acabados neste dia. Chegamos em Rio Branco, 16:30, com mais de 24 horas sem comer (a não ser duas tangerinas que estavam nas nossas mochilas de mão). Voltamos em um ônibus que só tinha Peruanos e tivemos a infelicidade de ver o quanto eles foram maltratados diversas vezes na viagem. Eles tiveram várias vezes suas malas revistadas, inclusive as 01:00h da madrugada, quando todo mundo tava dormindo, o ônibus foi parado e entraram uns policiais armados revistando as sacolas de todo mundo (menos a minha e do Igor que ficamos imóveis segurando as mochilas e os passaportes bem a vista dos policiais - acho que porque éramos brasileiros não nos abordaram), passamos 4 horas na fronteira e aconteceu a mesma coisa que no ônibus durante a madrugada (todos foram revistados, menos a gente). Chegamos em Rio Branco e hibernamos até a hora de voltar para belém. Foi uma grande viagem, com altos e baixos, alguns erros (infelizmente) - que sinceramente espero que nos sirvam como lição e que com o tempo alguns maus entendidos se resolvam - , muitas paisagens bonitas e sonhos realizados. Se valeu a pena? Lógico! Só decidimos que outros mochilões certamente virão, mas com passagem de avião compradinha do Brasil para o país que iremos visitar. Nada mais de rotas alternativas. Depois conto em cada post detalhes por detalhes de como tudo foi. Ainda esta semana teremos posts no ar.


              Pés cansados e botas detonadas, ao final do mochilão.


14º dia: Rio Branco - Belém

Voltamos a nossa querida Belém. Realizados, ainda cansados para planejar uma nova viajem e cheios de coisas para contar.
     Enquanto ainda não temos nossas próprias fotos da frente de Belém, peguei emprestada a foto dessa pessoa que somos os maiores fãs: Dirceu Maués.

****Se estiveres planejando um mochilão para o Peru e quiseres dicas de rota alternativa ou de lugar para passear lá, empresas de ônibus que circulam no Peru, ou qualquer outra coisa, fala com a gente, que se soubermos, ficaremos feliz em informar.





5 comentários:

  1. Olá! Vim conhecer o blog de vcs após deixarem um recadinho no meu! Muito legal, pelo que vi aproveitaram bastante também a viagem ao Peru, é muito bacana não? Me surpreendi com as paisagens e todas aquelas ruínas antigas maravilhosas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simone, foi incríiiivel!!!! Eu tentava tirar fotos e mais fotos para registrar cada pedacinho daqueles momentos, mas impossível registrar o que nossos olhos registravam. Espero um dia fazer a trilha Inca... Já entramos até na academia para conseguir preparo físico hehehe
      obrigada pela visita!
      Abraços!

      Excluir
  2. Olá! Parabéns pelo detalhamento da viagem, muito bom mesmo!

    Seguinte, estou começando a planejar um mochilão com roteiro praticamente IDÊNTICO ao de vocês, para Julho/2013, com minha namorada. Gostaria de saber mais informações sobre o Peru, principalmente em relação ao money total da viagem (para o casal) e se os lugares (albergues, hotéis, restaurantes, supermercados, rodoviárias, etc.) aceitam cartões de crédito em geral (ou só débito), ou só dinheiro mesmo.

    Obrigado!


    ResponderExcluir
  3. Excelente postagem. Quero muito fazer essa viagem e dessa mesminha maneira. Sou de Belém tbm, gostaria de algumas informações assim como o Lucas ai no Post de cima. Gastos, Hostel's bons e econômicos e o que vcs acham sobre ir fazendo esse atalho ou ir de avião seria a mesma coisa em se tratando de gastos.
    meu e-mail: engleoalves@gmail.com
    meu whats app: +55 91 81013736
    Meu Nome: Leandro Alves
    meu facebook: https://www.facebook.com/leandro.alves.5876

    gostaria de ter o contato com vcs.

    ResponderExcluir
  4. Oi Leandro, ficamos hospedados no Loki hostel, que já até fiz uma postagem com os pós e contras. O maior problema na minha opinião é que ficava no alto de uma ladeira... era muito difícil chegar lá nos primeiros dias, não tinha ar de jeito nenhum :(
    tem um hostel bacaninha, perto da Plaza de Armas que se chama Pirwa (não precisa subir ladeira nenhuma... acho que ficaria nele se fosse de novo, mas é bom ver as recomendações no Trip adivisor). Em relação à ir de transporte alternativo ou avião, vai muito de você, do seu tempo e do quanto quer (ou pode) gastar. Essa experiência foi bem interessante, tenho muito história para contar e até todos os momentos tensos na hora, ficaram engraçados hoje em dia quando eu conto hehehe
    Na época achei uma passagem muito barata para Rio Branco e estava disposta a embarcar na aventura (sabe aquelas coisas que você encrenca que precisa se meter em uma van que te leva enlatado do lado de um preso algemado para um lugar desconhecido no Peru? hahaha). Se fores fazer por Rio Branco, para não passar esses perrengues, te recomendaria chegar na cidade ou terça ou sexta, pois tem um ônibus da Movil Tours saindo todas as quartas-feiras e sábados, às nove e trinta da manhã (do horário do Acre). Esse ônibus é confortável, serve lanche e te leva direto para Cuzco (acho que a viagem dura um dia)... Mas ó, só funciona se pegar da Movil Tours, pois se pegares outros podes te meter em encrenca (é que nunca contei aqui no Blog como foi a minha volta do Peru... num ônibus da ormeño, com cadeira que não reclinava absolutamente nada, não serva nem água, passamos um dia inteiro sem comer e fomos revistados pela Polícia anti-drogas...)
    Se conseguires uma passagem bem barata para LIma, Cuzco ou Arequipa, de repente compensaria ir de avião... mas como falei, depende do quanto você tem para gastar e do estilo de viagem que quer ter. Se quiseres trocar ideias por email, Meu email é robertamaues@yahoo.com.br. Abraços

    ResponderExcluir